quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Dona Porca e seus porquinhos


Dona Porca e seus porquinhos
(Anne Lieri)


porquinhos


Dona Porca e seus porquinhos
Precisam de muito espaço
Todos são muito gordinhos
Dão trabalho e cansaço!


Os porquinhos são espertos
E brigam para mamar:
Eles são muito famintos
Não querem fome passar!


Mas no triste cativeiro
Ficam bastante apertados
O que pensa o fazendeiro?
Quer nos ver amontoados?


Peço então a liberdade
A todos esses porquinhos!
E tenho outra  verdade:
Não aguento comer lombinho!


O porquinho é tão fofinho
Olhos tão meigos, rosados!
Se comer os pequeninos
Não vou dormir sossegado!







18 comentários:

Filha do Rei disse...

Acho-os lindossss!!!
Bjs, Anne

Beth/Lilás disse...

Que fofurices, não só a imagem que me trouxe até aqui, como também sua poesia clara e singela. adorei!
Não suma!
beijos cariocas



ONG ALERTA disse...

Achei divertido, não agüento comer pombinhas, beijo Lisette.

✿ chica disse...

Um amor de poesia e são uns amores mesmo!! beijos,chica

EDER RIBEIRO disse...

O teu lindo e fofo poema me atentou para algo, o apego e o amor q as crianças têm com os seus pais, os meus são assim. Bjos, querida Anne. Torcendo aqui q o sucesso da filha ainda esteja lhe enchendo de felicidades e core.

Tina Bau Couto disse...

O final é meio tenso, mas a busca de espaço, rosadice, sapequeci dos porquinhos é um encanto.
Eu não acho porcos bonitinhos, mas tb não quero nem pensar em comer dos pequenininhos

Meu carinho e abraço poéticos \o/

Rô... disse...

oi Anne,

que gostosinhos,
adorei a poesia,
você é muito criativa minha amiga...

beijinhos

Célia Rangel disse...

O homem o maior predador da natureza...
Bjs. Célia.

Kellen Bittencourt disse...

Anne vc tem o dom de sempre deixar os bichinhos mais adoráveis do que já são rsrs mas nesse caso eu adoro o lombinho mesmo rsr Bjooss

Celina disse...

Oi Anne todas as vezes que venho aqui, a criança que mora em mim se diverte hoje amando esses porquinhos, eu também não tenho coragem de comer estas coisinhas lindas CELINA

Berço do Mundo disse...

Tão lindos, rosados e esfomeados. A Dona porca tem que se alimentar muito bem...
Versos ternurentos, querida Anne
Beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

manuela barroso disse...

Querida Anne,
Coisa linda! Para quando outro livro?
Nem dá vontade de comer o nosso famoso porco preto do alentejo!
Gosto das tuas poesias tão ternurentas!
Mui beijinhos

Nikita disse...

Um amor de poema!!...lindo!...:)

Beijos, Néia

Lilá(s) disse...

São mesmo fofinhos! e que poesia! aliás como sempre...de pasmar
Bjs

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Há visitas aos lugares amigos,
para recolher palavras.
Há visitas a estes mesmos lugares
Para semear palavras.
A visita de hoje além da leitura
das preciosas palavras que aqui encontro,
é também para agradecer
a alegria de passar pela sua vida
e encontrar o perfume da amizade
de forma tão intensa.

Que a sede da alegria
Nunca cesse em ti.

Pepi, Xixo, Juja, Jujuba disse...

Quanta fofurice, Anne
Um amor!!
Beijinhos afetuosos de
Verena e Bichinhos

Elisa T. Campos disse...


Anne

Que fofurinhas
Uma porca cuida de 10 porquinhos e 10 porquinhos não cuidam de uma mãe. Acho que hoje não gostaria de vê-los no catveiro.

Bjs

Sônia Silvino (Crazy about Blogs) disse...

Ai que lindinhos!
Beijo!

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...