domingo, 10 de junho de 2018

Confissões






Lembranças da juventude nem sempre são de alegria
Às vezes minha atitude era infantil, era fria.

Guardo arrependimento da minha impulsividade
Magoei quem eu não queria com minhas meias verdades.

Hoje na maturidade me sinto bem mais feliz
No passado a vaidade me fez falar o que quis.

Com a língua afiada pensava ser corajosa
Mas quem eu amo magoava: era muito presunçosa!

Saber quando me calar hoje é sabedoria
Aprender a respeitar a todos no dia a dia.

O tempo foi professor e me ensinou direitinho
Tive momentos de dor e aprendi um pouquinho.

Agora tenho cautela e dou minha opinião
Mas antes abro a janela do meu rude coração.

(Anne Lieri)








quinta-feira, 7 de junho de 2018

Alma velha




Nem sempre aquilo que escrevo reflete o jeito que estou

Ás vezes é só lembrança de algo que já passou

Às vezes é alegria da criança que eu fui

Chega e sorri no meu verso e o poema assim, flui...

Ás vezes é vil tristeza de alguma coisa que vi

Porque no mundo (vocês sabem!) tem gente que não sorri!

Ás vezes é a revolta, rebento, rebelião,

Daquilo que não é justo e vomito uma explosão!

Ás vezes é um remanso de algum anjo que passou

É sempre nesses momentos que o poema é oração!

Porém toda essa poesia já faz parte do meu ser

Vem de uma alma bem velha que escreve pra aprender!


( Anne Lieri)


segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Minha alma




Não preciso de holofotes, nem ficar em evidência

Preciso do meu silêncio, ouvir minha consciência...

Não quero rimas precisas, nem versos cheios de dor,

Quero a poesia livre seja do jeito que for.

Minha alma é bem antiga, já teve muito amargor,

Hoje é criança, é cantiga, tem o perfume de flor.

Não luto mais contra a morte, nem com o tempo que passa,

Minha briga é só comigo e venço tudo na raça.

Por trás da fragilidade de toda a delicadeza

Minha alma se levanta: é valente fortaleza.

E quando chegar a hora de voltar para meu ninho

Quero ter muito aprendido,

Voar feito passarinho!



sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Receita de ano novo





Paremos de nos lamentar
Lamento atrai mais lamento
Para que estagnar?
A vida é sopro, é momento!


Não pensemos no passado
O ano novo é presente!
Se fizemos tudo errado
Vamos tentar novamente!


Joguemos o que não usamos:
Rancores, mágoas, feridas...
Troquemos por bons sentimentos
E uma alma decidida!


Sempre é tempo de aprender
Gentileza, gratidão...
Tentemos nos compreender
No fundo do coração.


E a tal ansiedade,
E a tal da depressão,
Trocar por serenidade,
Fé, amor e oração!

(Anne Lieri)






terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Revolução do amor



Apesar do sofrimento
Em nós nasce uma esperança
O Natal é um alento,
Sonho lindo de criança!


Mesmo com tanta tristeza
Apesar da carestia
Ainda cremos na beleza,
No bem, no bom, na alegria.


Natal também traz saudade
Daquela nossa inocência
No mundo existe maldade
Mas aumenta a consciência.


É tempo de gratidão
Rever tudo passo a passo
Natal é no coração
É puro afeto, é compasso...


Se o planeta anda distante,
Se não cultivou a flor,
Jesus nasce num instante
Na revolução do amor!





Queridas amigas e amigos,

Peço desculpas se ando distante da blogosfera, mas assuntos pessoais e de família me fizeram diminuir a frequência por aqui.


Não fiquem chateadas comigo se demorar um pouco para retribuir suas visitas. Não é pouco caso, é a cobrança da vida mesmo!


Quero deixar o meu abraço de Natal a todas (os) que vierem me visitar e desejo de coração muita saúde para toda família, harmonia, alegria e dim dim!


Obrigada pelo carinho de vocês!








Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...